Rascunho

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

E assim ela amanheceu sorrindo, não por ter tido sonhos românticos como sempre, mas por ter acreditado neles e agora eles faziam sentindo.
Ela descobriu o que era aquilo que lhe fazia acordar palpitante e porque descobriu, estava pronta pra encarar.
Ela se levantou da cama, apressada, passou o seu melhor perfume, vestiu sua melhor roupa mesmo sendo apenas mais uma segunda feira de trabalho ( para os outros, pra ela, a nova vida começava agora).
E ela quis sair linda, deslumbrante, quis atrair os olhares na rua, quis mexer com a cabeça dos homens. Decidiu que de agora pra frente ela seria sempre assim: dona de si e radiante.
Ao chegar no trabalho, seus colegas se surpreenderam, ela sempre era tão desajeitada, agora surge mulherão. Ela sorria deliciosamente e se divertia com tudo aquilo. Todos olhavam a nova mulher que acabava de nascer, uma mulher bonita, capaz de seduzir. Mas pra ela, era apenas uma nova mulher, com capacidade de amar, amar aos outros enlouquecidamente, mas se amar em primeiro lugar.

O ritmo da chuva ♪

sábado, 27 de novembro de 2010



Olho para a chuva que não quer cessar
Nela vejo o meu amor
Esta chuva ingrata que não vai parar
Pra aliviar a minha dor
Eu sei que o meu amor pra muito longe foi
Numa chuva que caiu
Oh, gente! Por favor pra ela vá contar
Que o meu coração se partiu
Chuva traga o meu benzinho
Pois preciso de carinho
Diga a ela pra não me deixar triste assim...
O ritmo dos pingos ao cair no chão
Só me deixa relembrar
Tomara que eu não fique a esperar em vão
Por ela que me faz chorar
Oh, chuva traga o meu amor!
Chove, chuva traga o meu amor
Oh, chuva traga o meu amor!
Chove, chuva traga o meu amor...

.

Sintoma: PAIXÃO

sábado, 6 de novembro de 2010

E os dois se encontravam a sós novamente, já havia bastante tempo desde a ultima vez...
Aquele quarto mal iluminado, a cama de solteiro antiga, o guarda-roupas que deveria ter 4 portas mas que só havia 3 e que tinha uma infinidade de adesivos dos Beatles. Uma cortina cor de vinho que deixava o quarto ainda mais escuro e um lençol antigo com bordados de flores. Sobre uma penteadeira havia maquiagens e revistas femininas contrastando com os livros de Direito Civil que estavam em cima da rack, cadernos com a capa rabiscada e alguns Cd's de pop rock. Definitivamente o quarto não parecia ser de uma mulher, era extramente desorganizado.
A mãe dela havia saido essa noite, dona Áurea sempre gostou de um samba no sábado, desde que superou a morte repentina do marido, ela saia pra um samba com as velhas amigas.
Em casa então, só estavam os dois, os vizinhos não o vira entrando, graças a Deus dessa vez ele escapou de ser denunciado por dona Margarida, a fofoqueira do bairro.

Entre beijos, abraços, respiração ofegante, havia também uma saudade expressa com o corpo, um toque mais suave. Um olhar lançado com ternura repentinamente, dessa vez deixaram o apelo sexual um pouco de lado. Não entendiam o porque daquela saudade tamanha. Desde o inicio o combinado era de que só seria sexo casual, coisa de momento. Então se pegavam ali, em silêncio, loucos pra dizer um ao outro o que estavam sentido, aquela sensação de leveza, como se estivessem flutuando. E havia algo gritando no peito.
Será que a brincadeira havia ficado séria demais? Ela se fazia essa pergunta amedrontada  "e se ele ainda quiser apenas brincar?" ela não suportava imaginar que estava apaixonada, se encontrava  preocupada em relação ao que ele poderia estar sentindo sobre ela.
Com ele acontecia o mesmo. Tinha medo de que ela tivesse outro em pensamento e que ele fosse apenas o prêmio de consolação.
Se encontravam ali, em um silêncio que parecia não ter fim. Insegurança, todo mundo sente isso algum dia.
Dona Áurea abriu o portão e ele se levantou ligeiro para se vestir. Quando finalmente estava indo pular a janela, olhou fixamente pra ela e disse "você pode nunca mais querer me ver, mas precisa saber que eu estou apaixonado por você". Ao ouvir aquilo ela sentiu-se tão completa que com um sorriso de orelha a orelha lhe disse "te espero amanhã, no mesmo horário, mas por favor, entre pela porta da frente".
Ele entendeu o recado e saiu contente, ela foi dormir nas estrelas.

No cobertor com alguém

terça-feira, 2 de novembro de 2010

"Ainda bem
Que você vive comigo
Porque senão
Como seria esta vida?
Sei lá, sei lá
Nos dias frios em que nós estamos juntos
Nos abraçamos sob o nosso conforto
De amar, de amar" ♫
Todo mundo quer em dia de chuva  ficar agarradinho com alguém debaixo das cobertas, vendo um filme, um seriado, comendo uma pipoca, dando risadas gostosas a dois. Sentindo-se completo enfim.
Nem adianta dizer que não lhe bate esse desejo em dia de chuva, nem adianta... Olhar o vazio no lado da cama é insuportável, ri sozinha não é tão gostoso e só sonhar não nos satisfaz. Apesar que sonhar já é meio caminho andando, na maioria das vezes, rs.
Se você tem alguém especial ( e que more perto o meu mora tããão longe), faça tudo isso e mais um pouco. Ouça aquelas músicas a dois, compartilhem gosto, vejam fotos velhas, contem histórias, piadas, romances, tomem um banho de agua quente beeeem demorado. Comam chocolates, tomem café, aproveitem o dia como se ele fosse só de vocês. Não ligue pra mais ninguém, não se preocupe com vizinhos, parentes chatos, a briga que ficou mal resolvida com um colega de trabalho, de faculdade... Coloque a seu melhor pijaminha, compre as suas pipocas favoritas e se deite naquela cobertinha gostosa enfim. Afinal, ninguém sabe quando poderão ter um dia assim, né?
E se assim como eu, você não pode fazer tudo isso agora, alimente o desejo de fazer na primeira oportunidade que surgir, afinal, a vida é curta e passar esses momentos com quem mais gostamos é o que realmente vale a pena nesse curto espaço de viver intensamente.
"Entre tantos outros
Entre tantos séculos
Que sorte a nossa hein?
Entre tantas paixões
Nosso encontro
Nós dois, esse amor.♫"
*Esse texto pode ser sem sentido pra todo mundo, menos pra mim ;*

Iris, Goo Goo Dolls

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

video
Música linda, um pouco velhinha, mas que não sai da minha cabeça:


E eu desistiria da eternidade para te tocar
Pois eu sei que você me sente de alguma maneira
Você é o mais próximo do paraíso que jamais estarei
E eu não quero ir para casa agora
E tudo que posso sentir é este momento
E tudo que posso respirar é a sua vida
E mais cedo ou mais tarde se acaba
Eu só não quero ficar sem você essa noite ♫

Sobre o medo de perder

domingo, 31 de outubro de 2010

Eu nunca falo de mim na primeira pessoa nesse blog, até porque acho que é se expor demais  e que há coisas que só precisam acontecer dentro de nós, ninguém mais precisa saber, é só nosso e ninguém pode nos roubar isso.
Mas é que uma coisa não sai da minha cabeça e eu preciso dividir.
Assim como todo mundo, eu tenho inúmeros defeitos e cometo muitos erros, ninguém acerta sempre, as vezes nem tentamos acertar...
Mas isso não faz com que a gente não mereça ser feliz, não nos torna menos dignos para  a felicidade. O que temos que fazer é perder o medo da felicidade, ela assusta sim, me assusta várias vezes, mas eu quero me jogar e navegar por ela como se não houvesse nada além de felicidade e amor.


Um dia dessas, vi um folheto que tinha um casal estampado, pra vender roupas intimas, logo, estavam semi-nus, mas aquilo me pareceu tão real. É como se eu sentisse a pele dos dois se encostando, como se eles se amassem de verdade, como se fosse uma vida a dois e não apenas um comercial.
E me bateu uma aflição, um medo, uma vontade de valorizar o que eu tenho. E desde então, tenho sonhado em dormir agarradinho, daquele jeito que eu já dormi tantas vezes mas que talvez eu não tenha realmente valorizado, tenha simplesmente me acostumado e só.
Lembrei de uma frase que diz que só damos valor as coisas depois que as perdemos e eu não quero perder pra valorizar, quero ser feliz e amar a cada minuto, pra não me arrepender de absolutamente nada. A pior coisa é se arrepender de não ter arriscado ser feliz.
Percebi que a vida é realmente curta pra nos acomodarmos, brigarmos sempre, sermos frios. Vamos viver e vamos amar muito.
E é só.

As várias faces do amor

Amo-te com graça, lisonjeio, ternura, calma, sensualidade, mas também amo-te com fome, fúria.
Faço de ti o pão e a penúria.
Quando lhe amo com calma, me perco em teus braços, acho graça das nuvens e do nada, sinto saudades do infinito, do nosso infinito particular.
É esse amor que me molha os lábios enquanto enche o meu peito de força, que me faz seguir andando quando você não está, quando perco o meu rumo, tropeço em meus erros, sofro, choro, mesmo se for de saudades daquela ausencia consentida.
E quando eu te amo com ciúmes, não lhe deixo escapar entre os meus dedos. Eu posso zombar dos carentes porque eu lhe tenho e a ti eu pertenço.
E que morram de inveja aqueles que não te tem, porque você é apenas meu, meu ser, minha vida, meu dia.
Amo-te assim, porque não sei amar simpleste de uma só forma.

Pequena Criança

Quando saiu por aquela porta, sabia que ela não ia mais voltar...

Ela poderia até vir de novo, mas não seria mais a minha pequena, seria outra, talvez mais calejada pela vida, talvez até um pouco mais amarga ou mais sorridente que o normal. Ela pode até não sentir a diferença, mas ela não seria mais a mesma.

Um certo dia, eu estava lendo sozinha na varanda, cidade pacata, não havia ninguém na rua, então eis que surge aquela pequena criança, gritando pela rua o meu nome, exalando felicidade. No primeiro momento não consegui compreender o que ela quis me dizer, na verdade, não sei se não quis compreender ou se realmente não compreendi, porque naquele momento compreender é entender que estar perdendo alguém que você muito ama...

Mas as pessoas passam por isso na vida. É esse o verdadeiro sentido de viver: casar e ter filhos...

Ela é uma pequena criança virando mulher, aprendendo a amar, a se sentir em um lar, a ter um lugar a que chamar de seu, ver seus sonhos se tornarem realidade. Porque toda mulher já desejou e sonhou entrar na igreja de branco e agora é a vez dela.

E naquele dia especial, que ela acordará as 5 da manhã, ansiosa, com medo, chorando de alegria e ao mesmo tempo de saudade, saudade de uma vida que está ficando pra trás, felicidade de uma vida que está começando, uma vida  a dois, depois virão mais vidas porque ele deseja encher a casa de crianças...

E eu? Estarei esperando por ela no altar, sendo testemunha do dia mais importante da sua vida, assim como fui testemunha do seu primeiro beijo, do seu primeiro amor, do seu primeiro choro contido...

Porque amigas de verdade, crescem juntas espiritualmente...


Você aguentaria conhecer minha verdade? Pois tome. Prove. Sinta. Eu gosto do  risco. Dos que arriscam. Tenho admiração nata por quem segue o coração. Eu  acredito nas pessoas livres. Liberdade de ser. Coragem boa de se mostrar. Dar a  cara a tapa! Ser louca, estranha, linda, chata! Eu sou assim. Tenho um milhão de  defeitos. Tenho uma tpm horrivel. Sou viciada em gente. Adoro ficar sozinha. Mas  eu vivo para sentir, por isso eu te peço, me provoque, me beije a boca, me  desafie, me tire do sério, me tire do tédio. Vire meu mundo do avesso! Mas, me  faça sentir. Eu quero rir até a barriga doer. Chorar e ficar com cara de sapo.  Este é o meu alimento: palavras para uma alma com fome. Essa é a lógica que  inventei pra mim.

1- O cheirinho delas é sempre gostoso, mesmo que seja só xampu.

2- O jeitinho que elas têm de sempre encontrar o lugarzinho certo em nosso ombro, nosso peito.

3- A facilidade com a qual cabem em nossos braços.

4- O jeito que tem de nos beijar e, de repente, fazer o mundo ficar
perfeito.

5- Como são encantadoras quando comem.

6- Elas levam horas para se vestir, mas no final vale a pena.

7- Porque estão sempre quentinhas, mesmo que esteja fazendo trinta graus abaixo de zero lá fora.

8- Como sempre ficam bonitas, mesmo de jeans com camiseta e
rabo-de-cavalo.

9- Aquele jeitinho sutil de pedir um elogio.

10- O modo que tem de sempre encontrar a nossa mão.

11- O brilho nos olhos quando sorriem.

12- O jeito que tem de dizer 'Não vamos brigar mais, não..'

13- A ternura com que nos beijam quando lhes fazemos uma delicadeza.

14- O modo de nos beijarem quando dizemos 'eu te amo'.

15- Pensando bem, só o modo de nos beijarem já basta.

16- O modo que têm de se atirar em nossos braços quando choram.

17- O fato de nos darem um tapa achando que vai doer.

18- O jeitinho de dizerem 'estou com saudades'.

19- As saudades que sentimos delas.

20- A maneira que suas lágrimas tem de nos fazer querer mudar o mundo para que mais nada lhes cause dor.

(Arnaldo Jabor)

Sem um ultimo adeus.

Um casal de namorados...

Um casal de sonhadores...

Um casal de apaixonados...

Ela tinha aquele sorriso estampado no rosto sempre, ele era um homem sério, mas mesmo assim eles davam certo.

Ela era romântica, risonha, suspirava pelos cantos, ele não sabia falar muito bem sobre os seus sentimentos.

A vida é traiçoeira, lhe joga em um mar de incertezas e dificuldades sem lhe oferecer ao menos uma ponta de esperança para você se agarrar, pra lhe confortar.

Aquele dia belo, ficou cinza de repente, aquelas nuvens negras se aproximaram com tanta ferocidade, lágrimas em meio a tempestade.

Simplesmente perder não bastava, além de perder alguém, você tem que enterra-lo. E isso, ele ainda não estava pronto pra fazer.

Ela se foi, sem que ele dissesse ao menos "adeus", ela deixou uma roupa em cima da cama, em que ela pensava arrumar depois, ele disse que traria pra ela aqueles chocolates que ela tanto gosta.

Mas ela ficou lá, respirando com dificuldades até o momento em que ele chegou, ela só precisava vê-lo mais uma vez, pra sua alma descansar em paz. Ela só precisa olhar naqueles olhos verdes de novo e dizer "eu te amo".

Na cabeça dele, passou um filme, desde o dia que se viram pela primeira vez, ela cercada de amigos, ele sozinho. Um esbarro em uma sorveteria, a blusa dele suja de sorvete de chocolate, o sorvete favorito dele é de morango. Ela se encantou pelos olhos, ele não sentiu nada em um primeiro instante... Mas se derreteu quando disse a ela que fazia balet e ela não riu.  Foi a primeira mulher na vida dele, que não zombou por ele fazer balet.

Agora, no quarto sozinho, olhando aquela caixa de bombons e esperando ouvir o grito dele, mandando ele tirar a toalha molhada de cima da cama, quantas vezes ele não resmungou quando ela fez isso? E agora, espera, como se ela fosse mesmo gritar, como se ela fosse entrar pela porta e pedir pra que ele abra o vidro de azeitonas, como se ela fosse passar aquele creme de cereja que deixava todos os lençois com o cheiro bom dela. Só restou o cheiro, ela não. Quando lavar os lençóis o cheiro também se vai...

Quantas vezes ele não se virou e não quis conversar porque estava cansado? Quantas vezes ela não quis um colo quente e ele queria assistir o futebol? Ela era colorado doente, ele um gremista radical, mas os dois davam certo mesmo assim, menos em dia de GreNal.

Quando se é só, não se sofre tanto, quando não se tem alguém perdê-lo simplesmente não dói, mas quando esse alguém lhe é arrancado, sem você ao menos dizer "adeus". Se ele a perdesse e ela fosse embora pela porta, ele não sofreria tanto, quanto sofre agora, que teve de enterra-la.

Mas além de perder, enterrar, o que mais dói nele, é que ele nunca disse a ela "Eu Te Amo Também".

"How does it feel, to be different from me? ♫

Nervosismo, medo, tudo bem normal em uma primeira vez.

É normal essa espectativa, essa ânsia, essa insegurança.

Mas o que eu tenho sentido, vai além disso, é como se fosse uma fobia.

É como se na hora, eu não fosse conseguir quebrar o gelo, como se ficasse uma barreira que me impedisse de ser quem sou, de sorrir, de levar tudo o que foi proposto a mim, levemente.

Decepcionar as pessoas dói em ambas as partes, saber que você não foi boa o suficiênte, que deixou a desejar.

Chegar na hora H e sair como se tivesse sido melhor que aquilo não acontecesse.

Como se fosse incapaz de ser simplesmente o que você todos os dias. Como se fosse uma obrigação ser mais do que você já é, como se você tivesse que se tornar outra pessoa, pra poder agradar alguém.

Tenho sentido uma pré-rejeição, como se na hora, todos os meus pensamentos negativos se tornassem real...

E fica em mim a perguntar, é só relaxar e deixar acontecer?

Corpo e alma

Se eu pudesse, eu teria sido a primeira e única, a primeira a lhe olhar nos olhos e dizer “Te Amo”  a primeira a lhe dar aquela abraço que lhe faz sentir flutuar, a lhe acalmar a alma, preencher o peito...

Como eu queria, ter sentido o seu coração palpitar toda vez que ele se encheu de lágrimas e que essas escorreram pelo seu lindo rosto de anjo, teria sossegado seu coração, como se me completasse a você.

Como eu desejei ter lhe dado o primeiro beijo, ter sido a única a sentir o seu corpo quente, a única a sussurrar em seus ouvidos, as coisas boas que lhe arrancam um sorriso no canto da boca, como eu desejei ser pra sempre a dona da sua boca, sentindo a sua respiração ofegante...

Queria ter sido sua desde o primeiro momento que o vi, devia ter mergulhado na imensidão do seu olhar desde a primeira vez que você me olhou com desejo, eu devia ter  lutado mais por você, moldado você em mim, pra você não sentir tanto medo de amar.

#Feelings

Saber amar, saber deixar alguém te amar ♫
Ela acordou exaltada e extremamente feliz, há quanto tempo não sentia aquilo? Um ano? Dois?

Ela não queria saber se iria chover, se precisaria levar o guarda-chuva ou se ficaria horas na fila da padaria, ela só queria viver, sentir aquela energia boa que ela estava exalando aquela manhã, qualquer uma que olhasse em seus olhos, veria que na noite passada ela foi tomada como especial, a nossa mocinha não sentia-se mais sendo uma qualquer...

O mundo agora parecia ser mais colorido do que antes, ela nunca tinha reparado nas flores da vizinha, nem nos detalhes da calçada. Sentia-se tão radiante, que mais parecia o sol, e nem o tempo nublado ofuscava isso, ela é dona do seu nariz, mas outro alguém é dono do seu coração.

Quem é esse alguém que faz a ela tão bem? Ela também não sabe responder, ele apareceu de mansinho, foi chegando com o seu charme irresistivel, ela foi ficando de pernas bambas, quando viu, já estava em seus braços, amando, desejando e sendo desejada.

Ele pediu o telefone dela, prometeu ligar.

Ela vive um dia radiante, mas está louca pra anoitecer e falar com ele novamente, repetir a dose de ontem.

Nosso pequeno sol chega em casa, escolhe uma roupa, arruma o cabelo e senta-se ao lado do telefone. "Ele vai ligar", será?

Nossa mocinha já estava exausta, seu dia, por mais perfeito que tivesse sido, foi também cansativo, ser feliz demais cansa, gera inveja, as pessoas desejam sugar a sua felicidade.

Sentada ao lado do telefone, banho tomado, roupa escolhida com capricho, esperando o telefone tocar...

Quantas horas mais isso vai demorar?

Homens, quando se dizem que vão ligar, podiam marcar a hora, pra não esperarmos tanto. Ou liguem ao menos pra avisar que não vão nos ligar.

Mas o principe encantado dela ligou, ela ouviu aquela voz rouca, sentiu de novo a perder o controle das pernas, saiu linda, voando como um pássaro, pros braços daquele que hoje ela sabe que ama.

Sem titulo

Queria ter lhe conhecido antes
Muito antes...
Para que nenhum de nós dois tivesse
Medos ou cicatrizes...
Queria ter estado com você
Quando seu coração descobriu
O que era AMOR
Quando seu corpo descobriu
O que era DESEJO
E antes que pudesse sofrer
Eu estaria do seu lado
Amando-lhe
Entregando-me
E juntos poder ter aprendido
As lições da vida e do coração...
Queria ter lhe conhecido muito antes
Quando suas esperanças
Começaram a nascer...
Quando seus sonhos ainda eram puros
E seus ideais ainda ingênuos...
Pena termos nos encontrado só agora
Já com o coração viciado
Em outros amores
Com uma imagem meio falsa
Do que é felicidade
Do que é entregar-se...
Queria ter lhe encontrado antes
Muito antes
Numa nova vida
Num outro tempo
Em que não precisássemos
Temer o nosso futuro
Nem nossos sentimentos...



Finalmente achei um poema que expressa tudo que eu queria dizer, mas não é de minha autoria...

Vem comigo

Vem meu menino, vamos ver o carnaval, ver o desfile da beija-flor, nos perder em meios as cores, sabores, beijos. Na folia que alegra os seres, mas não vamos ser individuos, vamos ser nós dois.

Há um arco-iris lá fora, só nós dois aqui,nos perdendo na imensidão desse quarto, vendo as cores que nem existem nascerem na escuridão. Vamos brincar de ser feliz, vamos nos amar...

Venha comigo ver o sol nascer em meio aos nossos beijos sufocantes, só nós dois, só nós dois. É tão bom um mundo em que estamos sós.

Não precisamos de mais ninguém, vamos colher as flores do nosso bosque, eu e você.

Vamos fazer planos, ter sonhos, mudar o curso, enfeitar o mundo, jogar confetes na avenida, só pra depois passarmos.

Vamos lavar a nossa alma na cachoeira, qualquer coisa ruim é uma pequena besteirinha,não nos importa, não nos sufoca, são problema de outros e não nossos,juntos somos tão perfeitos que não temos problemas; vamos viver somente da alegria produzida por nós.

Você sabe bem o quão sua eu sou, sabe que estou apenas esperando, você vir comigo.

O meu namorado imaginário

O meu namorado imaginário, além de alto e moreno, é dono de um sorriso encantador. Sorriso esse que encanta a todos por onde ele passa, ele é um galã. Mas ele só tem olhos para mim.

Meu namorado, gosta de leitura, romances, poesias, mas ele também se entende com os cálculos, ele é um rapaz muito inteligente.

Ele gosta de andar de mãos dadas na avenida, gosta de me pegar no colo e me colocar na cama quando estou com sono, gosta do meu sorriso, faz de tudo pra me ver feliz, gosta do meu cheiro na camisa dele, ama me ver vestindo as suas camisetas na hora de dormir, tem paciência para me ninar quando eu perco o sono, vigia o meu descanso a noite inteira pra ver se eu estou dormindo bem, me cobre sempre que eu sinto frio, me abraça pra me aquecer, me dá beijinhos de boa noite, beijinhos de bom dia, beijinhos de saudade na ausência consentida.

Se não dormimos juntos, me liga no meio da noite simplesmente porque sentiu saudades, isso me deixa cada vez mais apaixonada, diz que sente falta do meu cheiro e do meu corpo quente, ele é perfeito.

Por mais que ele tenha um grande apetite sexual, se eu não estiver afim, ele não fica emburrado, a gente sempre encontra outras formas de sentir prazer, seja vendo uns filmes agarradinhos debaixo de uma coberta, seja tomando um sorvete no parque, ouvindo e dançando coladinha aquela musica que é só nossa e de mais ninguém, sussurrando baixinho palavras de amor no ouvido um do outro, meu namorado é um romântico incorrigível, e eu o amo cada vez mais.

Nossas sextas feiras, são sempre de noites de amor, nossos sábados são animados e regados a beijos e abraços, nossos domingos sempre são de triangulo amoroso, mas por ele, eu vestiria sim a camisa do Flamengo, gritaria Gol, comemoraria como uma louca, só pra ver aquele sorriso que me deixa mole e me faz ver o quanto Deus é bom comigo por ter me dado um presente tão lindo.

Meu namorado lê o meu olhar, sabe quando eu quero um dengo, me faz sentir uma gatinha manhosa, fica me chamando de minha linda, dizendo que nasceu pra mim e que teremos uma família juntos, já escolhemos os nomes dos nossos filhos.

Meu namorado me escuta quando a gente briga, mesmo eu estando completamente errada, ele me ouve, me mostra pacientemente a minha falta de razão no acontecido, ele é um encanto mesmo quando a gente briga.

Ele me espera arrumar pra sair, mesmo sabendo que vai demorar umas duas horas, espera e nem reclama, apesar de dizer sempre que sou linda de qualquer jeito.

Meu namorado rouba flores no jardim da vizinha, toda vez que vem me visitar, e eu amo, sempre que ele me diz “as rosas não falam simplesmente exalam o perfume que roubam de ti” mesmo sendo uma frase feita, acho terrivelmente encantador.

Meu namorado ainda me manda cartas, mesmo estando no séc XXI e eu não posso negar que amo as surpresas escritas naquele simples pedaço de papel.

Meu namorado é sério, é educado, é alegre, é paciente, é lindo, é sincero, mas o melhor de tudo é que ele é MEU. Está nos meus pensamentos, um dia estará no meu coração.

Flor Bela Espanca

Nunca fui como todos
Nunca tive muitos amigos
Nunca fui favorita
Nunca fui o que meus pais queriam
Nunca tive alguém que amasse
Mas tive somente a mim
A minha absoluta verdade
Meu verdadeiro pensamento
O meu conforto nas horas de sofrimento
não vivo sozinha porque gosto
e sim porque aprendi a ser só...

A minha boca só deseja a tua
E é com o teu corpo que quero colar o meu
Só nós dois, muito amor e a luz da lua...
Enquanto isso a timidez se perdeu

O meu riso deseja o teu riso
Meu olhar procura por você
Como vc pode fazer isso?
Como vc pode se esconder?

Saiba, que quando me quiseres estarei pronta
Serei sua, serei sua dona,

Serei amada, atiçada, endeusada, mas no fim é só meu amor por você que conta.

Umbigo do Mundo

Ela é aquela que chega pra abalar, dança na festa como se não houvesse amanhã.
Ela coleciona amores, flores, sonhos alheios, pelo simples prazer de destrui-los, ela é má, ela é estérica, mas é milimétricamente perfeitinha, os erros nunca são dela, os passos em falso atrás da porta também não.
Ela dança com o destino e nós dançamos conforme a sua música, ela é mocinha, ela é vilã.
A Lua dela é mais deslumbrante do que qualquer outra, ela é a Cleópatra do Séc XXI, é o mau sem remédio, é o tédio, é a hora que corre, mas nunca saímos do lugar, é real, é fictícia, feiticeira, ela é sincera, ela é arteira.
Não há um só defeito nela que algum humano qualquer possa enxergar, ela é imortal, intocável e inigualável.
E como uma caixinha de bonecas, ela é a Barbie.
Mas um dia, ela vai acordar.
E o doce sonho terá um gosto amargo, a vida será mais cinza, suas cores já se desbotaram, é isso minha cara.
Você não é o umbigo do mundo!

Ilhas

Ele está do outro lado da rua, está na esquina, está em todas as casas.

Eu sei que ele tenta chegar até mim, sei o que ele quer, vejo isso nos olhos dele.

Quanto mais ele se esforça, mais ele se afasta, já há um oceano entre nós, não quero que ele se perca.

Eu sei quando não dá, sei quando chega o limite e sei que ele faz o que pode.

Esse oceano insiste em fazer com que a ilha suma, ficando menor ao leste.

Ele é uma ilha, eu sou outra, nunca seremos uma só ilha.

Mas a vontade de estar perto é tão grande, que quero devora-lo ao invés de apenas amar.

Quero me completar, todo mundo busca ser completo.

Ele sorri enquanto a sua ilha vai ficando mais distante, ele sorri, enquanto eu vou perdendo o meu amante.

O Conto do Amor

Mulheres, acham que a perfeição é o ápice, nada de roupa amassada, meia desfiada, salto estragado, quanto mais perfeito, mais elas adoram, mais se sentem bem.

E naquela noite, ela queria seduzi-lo, esquentar a relação que havia ficado morna com o tempo, aquelas loucuras na cama já não eram feitas há um bom tempo.

Ela preparou o vinho, sua melhor lingerie, seu melhor sapato, mas quando quis pegar a sua meia calça 3/8 ela estava desfiada, acabou tudo para ela bem ali.

Sem a meia calça, seu look não ficaria completo, ela não se sentiria tão sexy, então ligou para aquela amiga que sempre lhe salva na hora H, mas a amiga não pode ajudar, ela então foi pra batalha, deixando o essencial para trás.

Quando ele chegou, se sentaram, beberam, comeram, ela olhava com malicia, ele olhava sem entender, mas ele iria se surpreender aquela noite.

Muito vinho na cabeça e ela começou a atacar, a beijar, a amassar o amado, levou ele pro quarto, vestiu a sua lingerie, sem perceber vestiu a meia, colocou os seus mais belos sapatos e partiu pra sedução aquela noite, fizeram amor como não faziam há muito tempo, reacenderam aquele fogo da relação.

Ele flutuou levemente depois daquilo, ela se sentia satisfeita, e a meia calça desfiada? Ele nem notou a imperfeição, pois ela se fazia perfeita.

Eu não existo sem você - Vinicius de Moraes

Eu sei e você sabe, já que a vida quis assim
Que nada nesse mundo levará você de mim
Eu sei e você sabe que a distância não existe
Que todo grande amor
Só é bem grande se for triste
Por isso, meu amor
Não tenha medo de sofrer
Que todos os caminhos
Me encaminham pra você

Assim como o oceano
Só é belo com luar
Assim como a canção
Só tem razão se se cantar
Assim como uma nuvem
Só acontece se chover
Assim como o poeta
Só é grande se sofrer
Assim como viver
Sem ter amor não é viver
Não há você sem mim
Eu não existo sem você

O laço de fita - Castro Alves

Não sabes, criança? 'Stou louco de amores...
Prendi meus afetos, formosa Pepita.
Mas onde? No templo, no espaço, nas névoas?!
Não rias, prendi-me
Num laço de fita.


Na selva sombria de tuas madeixas,
Nos negros cabelos da moça bonita,
Fingindo a serpente qu'enlaça a folhagem,
Formoso enroscava-se
O laço de fita.


Meu ser, que voava nas luzes da festa,
Qual pássaro bravo, que os ares agita,
Eu vi de repente cativo, submisso
Rolar prisioneiro
Num laço de fita.


E agora enleada na tênue cadeia
Debalde minh'alma se embate, se irrita...
O braço, que rompe cadeias de ferro,
Não quebra teus elos,
Ó laço de fita!


Meu Deusl As falenas têm asas de opala,
Os astros se libram na plaga infinita.
Os anjos repousam nas penas brilhantes...
Mas tu... tens por asas
Um laço de fita.


Há pouco voavas na célere valsa,
Na valsa que anseia, que estua e palpita.
Por que é que tremeste? Não eram meus lábios...
Beijava-te apenas...
Teu laço de fita.


Mas ai! findo o baile, despindo os adornos
N'alcova onde a vela ciosa... crepita,
Talvez da cadeia libertes as tranças
Mas eu... fico preso
No laço de fita.


Pois bem! Quando um dia na sombra do vale
Abrirem-me a cova... formosa Pepital
Ao menos arranca meus louros da fronte,
E dá-me por c'roa...
Teu laço de fita

Se eu soubesse.

Se eu soubesse que seria assim... Não teria aberto a porta, não teria deixado ele entrar em passos lentos, não deixaria ele se acomodar em meu coração.

Se eu soubesse que eu sofreria tanto, teria lhe mandado embora, teria brigado, teria chorado, por que seria um choro de alivio e não de sofrimento, como é agora.

Se eu soubesse que a sua ausência me traria essa dor, teria lhe ignorado, lhe expulsado, feito de ti um inimigo.

Se eu soubesse que a saudade nos deixa insanos, eu teria me fechado dos seus encantos.

Se eu soubesse, eu não estaria assim agora, esperando por sua vinda, que tanto se demora.

Mas me desculpa coração, que mesmo sem saber, insisto em me apaixonar.

Tempo

De manhã, ela acorda linda e jovem, sorri como se não houvesse nada além de si mesma, ela anda, ela impera, é jovem e tudo esta em seu favor, ela pode, ela encanta, apaixona e deixa os rapazes loucos, ela é imatura, pura, sincera.

Mas o tempo passa.

A tarde, ela é madura, segura de si, quer uma coisa sólida, os amores não são mais como antes, agora ela avalia muito bem antes de se entregar, ela já sofreu muito, não quer mais arriscar, sua beleza agora é mais doce, mais sincera, mais real.

Mas o tempo passa.

E a noite, ela está cansada, velha, exausta de tudo que lhe fez sofrer, alegre por ter tido tudo que esperou e desapontada com si mesma, talvez. Ela já sorriu o suficiente, chorou também, amou, lutou, conquistou, perdeu. A vida tem realmente seus altos e baixos, ela agora só quer repousar, descansar de tudo o que um dia sentirá falta, deixa tudo para atrás, mas isso faz parte da vida. Ela então se deita nos braços de Morpheu, e nos fica a clareza de que o tempo não volta, mas há sempre um amanhã.

Bilhete - Mário Quintana

Se tu me amas, ama-me baixinho
Não o grites de cima dos telhados
Deixa em paz os passarinhos
Deixa em paz a mim!
Se me queres,
enfim,
tem de ser bem devagarinho, Amada,
que a vida é breve, e o amor mais breve ainda...

Ciúmes

Primeiro nos cerca,

Nos domina, nos acerta,

Depois nos fere, nos dilacera,

Nos acelera.

É mais ardilosa do que a cobra mais venenosa.

Nos corrói, nos destrói.

Nos faz de fantoches,

Depois alvo de deboches.

Nos come,

Nos come,

Nos consome.

É o pior veneno,

O mal sereno

Nos mata dia-a-dia

Nos envenena noite e dia

É o ciúmes que só mal faz ao coração.

É o ciúme que nos tira a razão.

É o ciúme, que nos prende em sua teia enquanto nos tem na mão.

Chega de saudade - Vinicius de Moraes

Vai, minha tristeza, e diz a ela
Que sem ela não pode ser
Diz-lhe, numa prece, que ela regresse
Porque eu não posso mais sofrer

Chega de saudade, a realidade é que sem ela
Não há paz, não há beleza
É só tristeza e a melancolia
Que não sai de mim, não sai de mim, não sai

Mas, se ela voltar, se ela voltar
Que coisa linda, que coisa louca
Pois há menos peixinhos a nadar no mar
Do que os beijinhos que eu darei na sua boca

Dentro dos meus braços
Os abraços hão de ser milhões de abraços
Apertado assim, colado assim, calado assim
Abraços e beijinhos e carinhos sem ter fim

Que é pra acabar com esse negócio de viver longe de mim
Não quero mais esse negócio de você viver assim
Vamos deixar desse negócio de você viver sem mim

Vinicius de Moraes

Saudade - Pablo Neruda

Saudade é solidão acompanhada,
é quando o amor ainda não foi embora,
mas o amado já...

Saudade é amar um passado que ainda não passou,
é recusar um presente que nos machuca,
é não ver o futuro que nos convida...

Saudade é sentir que existe o que não existe mais...

Saudade é o inferno dos que perderam,
é a dor dos que ficaram para trás,
é o gosto de morte na boca dos que continuam...

Só uma pessoa no mundo deseja sentir saudade:
aquela que nunca amou.

E esse é o maior dos sofrimentos:
não ter por quem sentir saudades,
passar pela vida e não viver.

O maior dos sofrimentos é nunca ter sofrido.

Pablo Neruda (Gênio)

Tairane

Não existe significado para o nome "Tairane" então, eu defini o meu:
Tairane  é aquela que ama demais e por amar demais acaba sofrendo muito.
Tairane é egoísta, ciumenta, mas ela não faz isso por mal, é que ela não controla seus sentimentos, afinal, esse é um dom raro.
Tairane chora,  suspira, sente dor.
Também ama poesia e gosta de escrever, mas o que  ela escreve nunca a agrada.
Gosta de artes e não sabe explicar o  porque.
Se agarra fielmente no que dizem seus filósofos preferidos.
Sente  uma grande curiosidade em relação a História.
Tairane pula, canta,  grita... Apesar de não gostar que a ouçam cantar.
Sonha em se casar e  ter filhos, apesar de dizer sempre que não.
Já quis ser arqueóloga,  mas infelizmente não deu.
Quer conhecer o mundo, ela é muito curiosa.
Tairane  ama demais a sua mãe, pai e irmão, daria a vida por eles se preciso  fosse.
Tairane tem medo do escuro, da solidão e da morte...
Tairane  não acerta sempre, e muitas vezes diz a que a vida lhe virou as costas.
Mas  a verdade é que ela gosta de viver, e viveria tudo de novo se preciso  fosse.

Separação

"Ela disse Adeus - Paralamas do Sucesso"
 E então, ela não conseguiu dizer "adeus".
O problema é que ela sempre soube, quis lutar contra isso, mas se deixou vencer... Mesmo sabendo que um dia esse momento chegaria, que ela sangraria por dentro, que não haveria um retorno, uma porta de saida. Ela quis acreditar nele, acreditou, quis arriscar e se arriscou, hoje está sangrando. Não há mais um refúgio, ficou tudo pra trás, ela tenta se agarrar as lembranças como se elas fossem algo que se pode tocar, ela chora e quanto mais lágrimas derrama, mais aumenta a ferida no peito. Dizem que o tempo é um bom remédio, mas ela não tem paciência, foi simplesmente traída pelos ditos populares, está totalmente perdida na escuridão, esperando encontrar alguém que a dê a mão, que a console, que lhe faça rir novamente, porque no momento ela é apenas trevas, e o seu sorriso é áspero. Nada pode evitar todo esse sofremento, mas a dor a tornará madura, porque nem tudo é só perca, mas esses ganhos, nos são dolorosos e ela sabe disso como ninguém, agora.

Trecho de O DIVÃ

Sempre desprezei as coisas mornas, as coisas que não provocam ódio nem paixão, as coisas definidas como mais ou menos, um filme mais ou menos ,um livro mais ou menos.
Tudo perda de tempo.
Viver tem que ser perturbador, é preciso que nossos anjos e demônios sejam despertados, e com eles sua raiva, seu orgulho, seu asco, sua adoraçao ou seu desprezo.
O que não faz você mover um músculo, o que não faz você estremecer, suar, desatinar, não merece fazer parte da sua biografia.

Martha Medeiros

Despertar

E amanhece o dia, ao som do despertador.
Despertar, acordar para a vida.
Despertar, acordar para um amor.
Despertar, acordar pra deixa de sonhar e começar a correr atrás.
Despertar, desejos no outro.
Despertar, aquele sentimento puro, como a amizade.
Despertar, paixão de verdade.
Despertar, a felicidade em nós.
Despertar e ver que falta tão pouco para te ter aqui. (L)