O ritmo da chuva ♪

sábado, 27 de novembro de 2010



Olho para a chuva que não quer cessar
Nela vejo o meu amor
Esta chuva ingrata que não vai parar
Pra aliviar a minha dor
Eu sei que o meu amor pra muito longe foi
Numa chuva que caiu
Oh, gente! Por favor pra ela vá contar
Que o meu coração se partiu
Chuva traga o meu benzinho
Pois preciso de carinho
Diga a ela pra não me deixar triste assim...
O ritmo dos pingos ao cair no chão
Só me deixa relembrar
Tomara que eu não fique a esperar em vão
Por ela que me faz chorar
Oh, chuva traga o meu amor!
Chove, chuva traga o meu amor
Oh, chuva traga o meu amor!
Chove, chuva traga o meu amor...

.

Sintoma: PAIXÃO

sábado, 6 de novembro de 2010

E os dois se encontravam a sós novamente, já havia bastante tempo desde a ultima vez...
Aquele quarto mal iluminado, a cama de solteiro antiga, o guarda-roupas que deveria ter 4 portas mas que só havia 3 e que tinha uma infinidade de adesivos dos Beatles. Uma cortina cor de vinho que deixava o quarto ainda mais escuro e um lençol antigo com bordados de flores. Sobre uma penteadeira havia maquiagens e revistas femininas contrastando com os livros de Direito Civil que estavam em cima da rack, cadernos com a capa rabiscada e alguns Cd's de pop rock. Definitivamente o quarto não parecia ser de uma mulher, era extramente desorganizado.
A mãe dela havia saido essa noite, dona Áurea sempre gostou de um samba no sábado, desde que superou a morte repentina do marido, ela saia pra um samba com as velhas amigas.
Em casa então, só estavam os dois, os vizinhos não o vira entrando, graças a Deus dessa vez ele escapou de ser denunciado por dona Margarida, a fofoqueira do bairro.

Entre beijos, abraços, respiração ofegante, havia também uma saudade expressa com o corpo, um toque mais suave. Um olhar lançado com ternura repentinamente, dessa vez deixaram o apelo sexual um pouco de lado. Não entendiam o porque daquela saudade tamanha. Desde o inicio o combinado era de que só seria sexo casual, coisa de momento. Então se pegavam ali, em silêncio, loucos pra dizer um ao outro o que estavam sentido, aquela sensação de leveza, como se estivessem flutuando. E havia algo gritando no peito.
Será que a brincadeira havia ficado séria demais? Ela se fazia essa pergunta amedrontada  "e se ele ainda quiser apenas brincar?" ela não suportava imaginar que estava apaixonada, se encontrava  preocupada em relação ao que ele poderia estar sentindo sobre ela.
Com ele acontecia o mesmo. Tinha medo de que ela tivesse outro em pensamento e que ele fosse apenas o prêmio de consolação.
Se encontravam ali, em um silêncio que parecia não ter fim. Insegurança, todo mundo sente isso algum dia.
Dona Áurea abriu o portão e ele se levantou ligeiro para se vestir. Quando finalmente estava indo pular a janela, olhou fixamente pra ela e disse "você pode nunca mais querer me ver, mas precisa saber que eu estou apaixonado por você". Ao ouvir aquilo ela sentiu-se tão completa que com um sorriso de orelha a orelha lhe disse "te espero amanhã, no mesmo horário, mas por favor, entre pela porta da frente".
Ele entendeu o recado e saiu contente, ela foi dormir nas estrelas.

No cobertor com alguém

terça-feira, 2 de novembro de 2010

"Ainda bem
Que você vive comigo
Porque senão
Como seria esta vida?
Sei lá, sei lá
Nos dias frios em que nós estamos juntos
Nos abraçamos sob o nosso conforto
De amar, de amar" ♫
Todo mundo quer em dia de chuva  ficar agarradinho com alguém debaixo das cobertas, vendo um filme, um seriado, comendo uma pipoca, dando risadas gostosas a dois. Sentindo-se completo enfim.
Nem adianta dizer que não lhe bate esse desejo em dia de chuva, nem adianta... Olhar o vazio no lado da cama é insuportável, ri sozinha não é tão gostoso e só sonhar não nos satisfaz. Apesar que sonhar já é meio caminho andando, na maioria das vezes, rs.
Se você tem alguém especial ( e que more perto o meu mora tããão longe), faça tudo isso e mais um pouco. Ouça aquelas músicas a dois, compartilhem gosto, vejam fotos velhas, contem histórias, piadas, romances, tomem um banho de agua quente beeeem demorado. Comam chocolates, tomem café, aproveitem o dia como se ele fosse só de vocês. Não ligue pra mais ninguém, não se preocupe com vizinhos, parentes chatos, a briga que ficou mal resolvida com um colega de trabalho, de faculdade... Coloque a seu melhor pijaminha, compre as suas pipocas favoritas e se deite naquela cobertinha gostosa enfim. Afinal, ninguém sabe quando poderão ter um dia assim, né?
E se assim como eu, você não pode fazer tudo isso agora, alimente o desejo de fazer na primeira oportunidade que surgir, afinal, a vida é curta e passar esses momentos com quem mais gostamos é o que realmente vale a pena nesse curto espaço de viver intensamente.
"Entre tantos outros
Entre tantos séculos
Que sorte a nossa hein?
Entre tantas paixões
Nosso encontro
Nós dois, esse amor.♫"
*Esse texto pode ser sem sentido pra todo mundo, menos pra mim ;*

Iris, Goo Goo Dolls

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

video
Música linda, um pouco velhinha, mas que não sai da minha cabeça:


E eu desistiria da eternidade para te tocar
Pois eu sei que você me sente de alguma maneira
Você é o mais próximo do paraíso que jamais estarei
E eu não quero ir para casa agora
E tudo que posso sentir é este momento
E tudo que posso respirar é a sua vida
E mais cedo ou mais tarde se acaba
Eu só não quero ficar sem você essa noite ♫