Eu sonhei...

domingo, 22 de janeiro de 2012

Eu sonhei em ficar, ver os nossos filhos crescerem...
sonhei com uma casa branca, um jardim, um cachorro...
Eu sonhei tanto, que eu apostei tudo por isso. Joguei todas as minhas fichas.
E agora me vejo aqui, apostando sozinha...
 Sou obrigada então, a me recolher da mesa, pegar as fichas que me resta e apostar em outra coisa.
Vai ser tão dificil sem você.
No começo, eu vou chorar.
Eu vou sentir dor.
Mas eu já passei por tudo isso antes, sim, eu passei.
Mas em toda minha vida, eu nunca havia me decepcionado tanto.
Eu? Fui convidada a me retirar da sua vida, simplesmente porque eu não sei não ser eu.
Porque eu não sei ver as coisas e fingir que eu não as sinto.
Porque eu vou do amor ao ódio em um segundo.
Eu grito, eu choro, eu vivo, eu morro.
E é como se você não se importasse comigo.
E faz de conta que não vê, a infelicidade que você me impõe.
E a culpada sempre sou eu, sou eu quem estraga tudo.
Me desculpe, mas desta vez a culpa é sua.
Eu já errei várias vezes, mas desta vez quem errou foi você.
Quem me magoou, foi você.
E o egoísta aqui, é você.
Fui convidada a me retirar, sim, estou saindo e não pretendo voltar.

sábado, 14 de janeiro de 2012

L'amour...

Segundo Plano

Nunca fui a primeira em nada.
Me alegrei muito em ser a sua primeira namorada, isto era pra mim, um enorme orgulho.  Eu consegui!
Você foi a primeira pessoa que me disse eu te amo e que me fez realmente me sentir amada, no começo.
Depois eu passei a ser sempre o segundo plano, mesmo perto me sentia longe, mesmo em meio ao nada, eu nunca era o bastante.
Não bastava só ser eu e você, tínhamos que ser eu, você e o futebol, não podíamos ir sozinhos ao cinema, sempre tinha algum amigo seu que você queria chamar.
Comecei a me distanciar cada vez mais, passei a chorar pelos cantos e a me arrepender amargamente por ter existido o dia 30/01/2011.
O dia em que eu saí de casa.
Saí na esperança de que seria tudo perfeito, mas logo vieram os problemas.
Eu consegui suportar o desemprego, a falta de dinheiro, o fato de não termos um lugar só nosso, a minha total falta de amigos no Rio, a diferença enorme entre a sua casa e a minha...
Mas não consigo, de modo algum, suportar ser sempre o segundo plano.
Gostaria, sinceramente, que se você realmente me ama, parasse de me deixar tão solta, tão só.